ATENÇÃO – Fim dos boletos sem registro. O que você precisa saber.

A notícia da Febraban sobre o término da prática da emissão de boletos sem registro preocupa muitos gestores de escolas e cursos.

Pensando em esclarecer as dúvidas dos usuários, preparamos um artigo com todas as informações que você precisa saber sobre o assunto

Diferença entre os boletos com e sem registro

Como o próprio nome diz, a diferença entre os dois tipos de cobrança é que um deles deve ser registrado no sistema do banco e o outro não. Com isso, o banco tem todas as informações sobre a cobrança e, para que você consiga fazer o cancelamento ou qualquer alteração no boleto, como data de vencimento, é preciso enviar um arquivo de remessa ao banco com todas as informações da transação, o que não acontece com o boleto sem registro.

Há diferença também quanto às tarifas cobradas. Na modalidade de cobrança sem registro, o banco geralmente cobra tarifa apenas quando o boleto é efetivamente pago por meio da rede bancária. Já para a cobrança com registro, o banco pode cobrar tarifas sobre as operações de registro, alteração ou cancelamento do boleto. Ou seja, você pode pagar mais de uma tarifa para o mesmo boleto.

A vantagem do boleto com registro bancário é que, em caso de não pagamento, ele pode ser protestado em cartório, porém essa ação depende das instruções do cedente, ou seja, os títulos só são protestados se o gestor da escola ou curso determinar.

Quando será o fim da cobrança sem registro?

O fim do boleto sem registro foi anunciado pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) no início do ano como parte do Projeto Nova Plataforma de Cobrança, que tem o objetivo de trazer mais transparência para o mercado de pagamento. A aplicação da nova regra será realizada em etapas, de acordo com o cronograma divulgado pela instituição:

  • Junho de 2015 – Fim da oferta da cobrança sem registros para novos clientes
  • Agosto de 2015 – Início da operação da base centralizadora de benefícios
  • Dezembro de 2016 – Término da migração das carteiras de cobrança sem registro para a modalidade registrada
  • Janeiro de 2017 – Início da operação da base centralizadora de títulos

Para que o boleto seja registrado, será obrigatório constar no documento de cobrança e no registro bancário pela internet o CPF ou CNPJ do pagador (sacado).

Os boletos sem registro emitidos após 2017 só poderão ser pagos no banco emissor, mesmo antes da data de vencimento.

Como se adaptar a essa mudança?

A melhor maneira de adaptar-se à alteração dos boletos sem registro para os com registro se faz com a implantação de um software de gestão escolar. Além das inúmeras vantagens que um software de gestão escolar proporciona, é possível fazer todo o preenchimento dos boletos com extrema facilidade e, ao mesmo tempo, ter o controle da cobrança dentro de uma única plataforma, aliando praticidade e controle.

Conheça a SisAlu – Sistema de Gestão Escolar e veja quanto nosso software pode lhe auxiliar nesse processo.

 

Fonte: Febraban

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *